As quatro inventoras do Carnaval

Se o Carnaval das escolas de samba fosse uma família (e não é?), as chefes do clã seriam, inevitavelmente, Portela, Mangueira, Império Serrano e Salgueiro. Tal certeza serve de alicerce para “As Matriarcas da Avenida: quatro grandes escolas que revolucionaram o maior show da Terra”, o quarto livro da coleção “Família do Carnaval”, coordenada pelo jornalista Fábio Fabato. Ele mesmo assina a obra, com outros quatro autores – Gustavo Gasparani, Luiz Antonio Simas, João Gustavo Melo e Luiz Carlos Magalhães -, abordando a história das quatro escolas mais tradicionais da folia carioca.

A coleção tem ainda “As Três Irmãs: como um trio de penetras arrombou a festa”, sobre Beija-Flor, Imperatriz Leopoldinense e Mocidade Independente; “As Titias da Folia – O brilho maduro de escolas de samba de alta idade”, com as memórias de Unidos da Tijuca, Vila Isabel, Viradouro e Estácio; e “As Primas Sapecas – Alegria, crítica e irreverência na avenida”, que trata de Caprichosos de Pilares, União da Ilha e São Clemente.