O bar de quem ama o samba

Os corações sambistas palpitam acelerados quando entram no Baródromo. O lugar, dois andares num cantinho entre o Estácio e a Cidade Nova (próximo a um dos berços do samba carioca), vizinho à Sapucaí, é uma espécie de santuário etílico dos apaixonados por Carnaval. A decoração permite uma viagem pela história dos desfiles – uma águia de chapéu decora o segundo pavimento, que ainda conta com uma carranca gigante. Um estandarte gigante, com as bandeiras das principais escolas cariocas, se estende do teto até quase o chão. Por todo lado, espalham-se fotos de momentos lendários do espetáculo. Estão lá o Cristo mendigo da Beija-Flor e o carro do DNA da Unidos da Tijuca, entre outros. Num canto, um painel com capa de LPs de sambas-enredo é muito fotografado pelos clientes.

De segunda a sexta, abre para almoço, servindo pratos rápidos e bem-feitos, comida de qualidade como preferem os bambas. As opções, aliás, têm nomes de sambas-enredo famosos. Estão lá “Os sertões” – carne seca acebolada com arroz, purê de abóbora e batata palha -, “Sonhar não custa nada” – milanesa de frango, arroz, feijão e purê -, “Lenda das sereias” – filé de peixe ao molho de alcaparras, arroz com nozes, batata na manteiga e nozes – e o mais famoso, o “Churrasco Apoteose”. Detalhe: as saladas foram batizadas em homenagem a rainhas de bateria inesquecíveis: Viviane, Luma, Brunet, Monique… A casa ainda ostenta uma coleção generosa de cervejas artesanais, seguindo a tendência que se espalha pela cidade.

Às sextas-feiras, o happy hour que abre o fim de semana conta com uma roda de samba que fica lotada até 22h. Aos sábados, a “Feijoada do Baródromo” virou um sucesso crescente, com a multidão invadindo a rua em frente. Visitar o bar dos bambas é uma obrigação para quem não é ruim da cabeça nem doente do pé.

Baródromo
Rua Laura de Araújo, 102 – Cidade Nova
+5521 25045754
Segunda a quinta, de 11h30 às 15h; sextas, de 11h30 às 22h; sábados, de 11h às 16h.

ORIENTAÇÃO SEGURA
É possível estacionar nas redondezas, mas a estação Praça Onze do metrô fica a um quarteirão de distância e várias linhas de ônibus passam pelas ruas em volta. Assim, deixe o carro em casa.